Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

SEGURANÇA

Motociclista quase tem cabeça decepada em acidente

17/02/2014 19:36
Foto por Talise Freitas / Lucas Mendes (Foto: Talise Freitas / Lucas Mendes) Clique para Ampliar
Talise Freitas - policia@atribunanet.com

Notícia atualizada às 23h30min

Uma tragédia registrada no final da tarde desta segunda-feira chocou moradores do Bairro Brasília, em Criciúma. O condutor da moto, placa MKG-2274 de Criciúma, Dilnei de Souza Ferreira, de 44 anos, morreu após ter a cabeça quase decepada por um cabo de aço atravessado na Rua Salvador. A vítima, que morava a cerca de 200 metros do local do acidente, morreu na hora. A motocicleta foi parar a 100 metros de onde Dilnei caiu.

O cabo rebocava, por meio de uma retroescavadeira, o caminhão, placas MAB-6243 de Meleiro, que transportava uma casa. O condutor da retroescavadeira fugiu do local. Já o motorista do caminhão, de 61 anos, foi encaminhado pela Polícia Militar à Central de Plantão Policial (CPP) para depoimento. O corpo de Dilnei foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), e liberado por volta das 22h30min aos familiares. Ele deixa mulher e uma filha de 19 anos. A vítima voltava do trabalho, onde atuava como serviços gerais, em uma lavanderia. Além da cabeça, o homem chegou a fraturar a coluna cervical.

O delegado de plantão, Leandro da Rocha Loreto, trata o episódio como homicídio culposo (quando não há a intenção de matar), e não como acidente. “Trata-se de um homicídio com culpa concorrente, ou seja, vítima e autores colaboraram para o resultado, que foi a morte. Os motoristas, do caminhão e da retroescavadeira, por trabalhar sem autorização e sem sinalização, e o motociclista, que ao que tudo aponta, estava em alta velocidade”, explica a autoridade policial. Um inquérito policial foi instaurado e os condutores podem ser indiciados por homicídio culposo. “Fui até o local dos fatos e ouvi testemunhas oculares”, acrescenta Loreto.

Caminhão não tinha autorização

Moradores chegaram a informar que havia dois homens sinalizando a via. Também chovia no momento da colisão. Devido o impacto, o capacete dele foi arremessado para a lateral da rua. Conforme a Autarquia de Segurança, Trânsito e Transportes de Criciúma (ASTC), o caminhão não estava autorizado a realizar o transporte da casa, que tem que ser feito em horários de pouco movimento e com escolta da Guarda Municipal.

Caso semelhante em 2012

Um caso semelhante foi registrado em maio de 2012. O motociclista, Jean Sérgio Barreto, coincidentemente também de 44 anos, morreu após bater na traseira de um caminhão que transportava uma casa, de forma irregular, na BR-101, no Bairro Vila Nova em Içara.

Galeria de Fotos

Últimas Notícias

Mais Notícias