Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

SEGURANÇA

Causas de incêndio devem ser conhecidas em 30 dias

13/03/2018 07:56
Foto por Corpo de Bombeiros (Foto: Corpo de Bombeiros) Clique para Ampliar
Francine Ferreira

Depois de mais de 12 horas de trabalho intenso e mobilização do Corpo de Bombeiros de toda a região, o incêndio na unidade de Içara da Cristalcopo foi contido na madrugada de ontem. Ainda durante toda a segunda-feira, uma guarnição do município permaneceu no local efetuando o trabalho de rescaldo e resfriamento da estrutura, uma vez que, de vez em quando, pequenas chamas voltavam a aparecer em pontos isolados.

No período da tarde, a equipe de perícias também já iniciou os trabalhos para identificar as causas do sinistro. De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros de Içara, capitão Renan Fernandes, o prazo regulamentar para que o relatório fique pronto é de 30 dias. “No momento não conseguimos precisar realmente o que aconteceu, mas testemunhas relatam que as chamas podem ter começado na parte da frente da empresa. Se precisar de mais alguns exames complementares esse prazo pode se estender um pouco mais, mas nossa expectativa é que a perícia seja finalizada um mês.”, estima.

Para conter o fogo na área de 8,5 mil metros quadrados, o equivalente a quase dez campos de futebol, segundo o capitão, foram gastos pelo menos 500 mil litros de água. “Foi um trabalho bastante demorado e cansativo, com muito empenho dos nossos bombeiros”, evidencia Fernandes.

Inicialmente, sem inquérito policial

Conforme o delegado de Polícia Civil de Içara, Rafael Iasco, a princípio nenhum boletim de ocorrência foi registrado e, inicialmente, não haverá a necessidade de ser instaurado um inquérito policial. “Isso porque, até o momento, não existem indícios de que a causa do incêndio tenha sido por conta de uma ação criminosa. Também não houve registro de nenhuma vítima e, por isso, a Polícia Civil não deverá se envolver. Vamos aguardar as perícias e os próximos desdobramentos para confirmar a situação”, explica.

Defesa Civil em alerta

Em virtude do vento que foi registrado ontem nas proximidades da empresa, a Defesa Civil de Içara, seguindo orientações do Corpo de Bombeiros, reforçou o alerta para cuidados com a saúde nos arredores, uma vez que a fumaça desprendida do local é tóxica.

“A fumaça está mais baixa nesta segunda-feira, o que inclusive comprometeu o funcionamento de empresas e escolas próximas. Pedimos para que os moradores do Loteamento Antônio Lima e empresas próximas sigam com janelas e portas fechadas em função da toxicidade. Orientamos a população para que em casos de dificuldades na respiração, procurem as Unidades de Saúde ou o Hospital São Donato”, reforçou o coordenador da Defesa Civil de Içara, Nestor Brunel.

Organização interna

De acordo com a direção da Cristalcopo, a empresa ainda está se organizando internamente, realocando os funcionários, seja para algum período de férias ou folga, ou até mesmo para trabalhar na matriz, também em Içara. Além disso, reforça que não está pensando em nenhuma demissão e que os esforços são, também, para organizar os pedidos em aberto.

Últimas Notícias

Mais Notícias