Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

SEGURANÇA

Case Sul estará em funcionamento no início de 2018

14/11/2017 08:28
Foto por Daniel Búrigo (Foto: Daniel Búrigo) Clique para Ampliar
Francine Ferreira

Com andamento dentro do esperado e obras na fase final de construção, o Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Sul deve ficar pronto e entrar em funcionamento no primeiro trimestre de 2018. A projeção é do Departamento de Administração Socioeducativo (Dease) de Santa Catarina, que vem trabalhando para finalizar também os trâmites legais para oportunizar a abertura da unidade.

De acordo com o diretor do Dease/SC, Zeno Augusto Tressoldi, o departamento tem trabalhado para agilizar a obra no Sul catarinense, que promete trazer um alívio no que diz respeito ao atendimento socioeducativo. “Com o Case pretendemos revolucionar a questão envolvendo o número de vagas na região. A intenção é quase suprir toda a demanda do sul, já que serão 60 novas possibilidades de internação. É um local no padrão do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo, feita para proporcionar um tratamento diferenciado, mais digno, com equipamentos novos e de ponta”, completa.

A estrutura bruta do Case Sul está praticamente toda de pé. “Os alojamentos já estão fechados. Seguimos construindo o anfiteatro e fechando o muro dos fundos da unidade, e depois disso faltará apenas a parte de acabamento, como colocação de telas entre as casas e a parte de segurança entre as telas e o muro. Inclusive, essa parte do muro trará, também, uma ótima segurança externa, para deixar a comunidade mais tranquila, uma vez que está sendo construída uma verdadeira muralha de quatro metros ao redor de todo o complexo”, elenca Tressoldi.

Para a secretária de Estado da Justiça e Cidadania, Ada Faraco De Luca, o Case Sul será um centro de ressocialização de primeiro mundo, onde o adolescente terá acesso à escolarização, cursos profissionalizantes, atendimento médico, odontológico e psicológico, além de atividades de lazer. “Favorecendo, assim, a reinserção do nosso jovem ao convívio social. Essa construção é uma antiga reivindicação da comunidade criciumense e com empenho e dedicação estamos construindo uma unidade socioeducativa modelo para atender nossos jovens adolescentes em conflito com a lei”, afirma.

Estrutura completa

Localizado em uma área rural da comunidade de Espigão da Pedra, o Case Sul Criciúma terá vaga para 60 adolescentes, sendo 40 para os que estiverem com condenação definida e 20 para os que ainda aguardam julgamento. O terreno, próximo à BR-101, foi doado pela Prefeitura de Criciúma e abrigará uma estrutura com área administrativa, alojamentos, lavanderia, almoxarifado, salas de aula, ginásio de esporte, ambulatório, salas de aula, oficinas profissionalizantes, teatro, centro ecumênico, quadra polivalente e sala multiuso.

Serão 186 funcionários trabalhando no local. Quando concluída, a obra terá 5,5 mil metros quadrados de estrutura construída em um terreno de 60 mil metros quadrados.

O Case é administrado pelo Governo do Estado e tem como objetivo ressocializar adolescentes, de ambos os sexos, que cometeram atos infracionais. No local, os menores cumprem suas Internações Provisórias e medidas socioeducativas de semiliberdade e de internação, decretadas por alguma autoridade judiciária competente. Tais direitos foram estabelecidos na Lei nº. 8.069/90 do Estatuto da Criança e do Adolescente e no Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo. O período máximo de internação é de três anos.

Últimas Notícias

Mais Notícias