Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

POLÍTICA

Ainda sem acordo entre trabalhadores e Ideas

10/01/2018 22:20
Foto por Everaldo Silveira/Jornal Enfoque Popular (Foto: Everaldo Silveira/Jornal Enfoque Popular) Clique para Ampliar
Francieli Oliveira

O esperado acordo entre os trabalhadores e o Instituto de Desenvolvimento de Educação e Assistência à Saúde (Ideas) não aconteceu na noite de noite. Uma nova rodada de negociação está marcada para as 8h de hoje. O impasse segue sendo o número de contratados pela nova gestão do Hospital Regional de Araranguá (HRA).

Uma assembleia chegou a ser realizada na noite de ontem, mas o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde de Criciúma e Região (Sindisaúde) não acatou a última proposta apresentada pelo Ideas e a ocupação do prédio segue enquanto isso. “Conseguimos uma nova rodada de negociações e queremos entender melhor a proposta do Ideas”, explica o diretor do Sindisaúde, Cleber Cândido.

Ainda de acordo com Cândido, o instituto propõe recontratar 355 trabalhadores, mas não dimensiona por setor. “A nossa proposta é que esse número de recontratação seja de 385. Apresentamos uma lista, dimensionada por certo e queremos entender melhor a proposta deles”, salienta o diretor sindical.

Outra questão que o sindicato questiona é a forma de contratação. “Já estava certo que não haveria a contratação por pessoa jurídica ou contrato autônomo e agora eles voltaram atrás”, acrescenta Cândido.

Justiça confirma desocupação

 

A Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) deixou o HRA, ontem, mas mesmo assim o juiz da Comarca da Araranguá, Rafael Steffen da Luz Fontes, entendeu necessária a imissão de posse em favor do Ideas devido a ocupação por parte dos trabalhadores. Neste caso, é possível o uso da força policial.

“Embora a parte ré SPDM tenha apresentado nos autos petição informando a ocorrência da desocupação voluntária do hospital e entrega simbólica das ‘chaves’ em cartório, tem-se que a situação fática não caracteriza a desocupação do imóvel. Isto porque, os funcionários da SPDM ainda encontram-se em manifestação no local, impedindo que a parte autora tome posse do imóvel para iniciar a administração do hospital. Sendo assim, cumpra-se a decisão, expedindo-se o mandado de imissão na posse”, colocou o magistrado em sua decisão.

 

Fontes deferiu, ainda, a vistoria dos bens constantes no hospital, conforme requerida pelo Estado, intimando as partes para acompanhar o ato.

Últimas Notícias

Mais Notícias