Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

GERAL

Estado projeta investimento de R$ 4,8 milhões na Serra do Rio do Rastro

12/01/2018 10:00
Foto por Clique para Ampliar
Gabriel Bosa
O Governo de Santa Catarina estuda uma série de projetos para conter os desmoronamentos de pedras na Serra do Rio do Rastro. Os investimentos serão aplicados pela Secretaria de Estado de Infraestrutura, com custo de aproximadamente R$ 4,8 milhões.
 
A primeira etapa – orçada em R$ 800 mil - compreende a recuperação da pavimentação asfáltica e cimentícia da SC-390. O mesmo montante também deverá ser empregado nas obras para conservação, limpeza geral, manutenção das muretas e reparos gerais ao longo da rodovia.
 
Os projetos para a construção de barreiras que evitem os desmoronamentos de rochas e interdições na pista estão orçados em R$ 3,250 milhões. As obras serão realizadas ao longo dos quilômetros 407, 410 e 416 - os pontos mais críticos apontados por um estudo realizado pelo Estado.
 
No quilômetro 407 + 800 será fixada uma tela de aço galvanizado de alta resistência, fixada com tirantes protendido com injeção de nata de cimento. Também serão feitas intervenções em concreto projetado, construção de drenos para escoamento de águas e construção de sarjetas triangulares de concreto. A obra está estimada em R$ 2 milhões.
 
As intervenções no quilômetro 410 + 930 estão previstas em R$ 600 mil. O trabalho compreende a construção de muros de gabião com caixas de até um metro de altura, construção de colchão tipo Reno com malha em PVC, instalação de drenos, e também fixação de sarjetas triangulares de concreto.
 
O mesmo serviço será feito no quilômetro 416 + 100, que terá também a fixação de uma biomanta com duas telas de polipropileno e construção de grampos para o solo. O custo está previsto em R$ 650 mil.
 
Segundo o secretário de Estado de Infraestrutura, Luiz Fernando Cardoso, o Vampiro, as obras ainda serão inclusas no orçamento geral a partir da volta do recesso, no próximo mês. “Somente depois disso iremos atrás dos recursos e fazer as licitações”, complementa. A previsão do secretário é que os processos licitatórios sejam lançados pelo Estado até o fim do primeiro trimestre de 2018.
 
Vistoria confirma pontos críticos
 
Ontem uma comitiva da coordenadoria regional, municipal, um técnico da Defesa Civil do Estado, Polícia Militar Rodoviária e Executivo de Lauro Müller realizaram uma vistoria em diversos locais da Serra do Rio do Rastro.
A via foi novamente interditada no início desta semana devido ao deslizamento de rochas e entulhos.
 
De acordo com o gerente de Restabelecimento e Reabilitação da Defesa Civil Estadual, José Luiz de Abreu, a presença da água é um fator determinante para que ocorram os deslizamentos. “A serra hoje é um local preocupante pelo contexto geológico. Temos, além da presença da água, os próprios cortes das rochas, fraturas dos blocos, gravidade e a trafegabilidade com excesso de carga que favorecem e contribuem para os deslizamentos das encostas”, explicou Abreu.
 
Segundo o coordenador regional da Defesa Civil, Rosinei da Silveira, uma vistoria realizada no ano passado concluiu nove pontos com riscos de deslizamentos e quedas de blocos. Em outro ponto foram realizados testes com produto impermeabilizante, mas que não se aplica em todos os locais de risco. 
 
“Esta vistoria serviu para confirmar novamente estes nove pontos e avaliar outros. Tudo isso será documentado para iniciarmos a busca de recursos para as obras e medidas necessárias que promovam segurança dos transeuntes, como a colocação de telas e cortinas tirantadas para a contenção dos blocos”, assegurou.
 

Últimas Notícias

Mais Notícias