Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

GERAL

Auditoria não encontra irregularidades no Sindisaúde

12/06/2018 09:52
Francieli Oliveira

A atual diretoria do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde de Criciúma e Região (Sindisaúde) divulgou que a auditoria realizada em cima das contas de 2012 a 2017 não encontrou irregularidades. O resultado será apresentado aos associados em assembleia, que ainda não tem data definida, e que também servirá para apresentação do balanço financeiro de 2017 e a proposta de previsão orçamentária de 2018.

O resultado da auditoria foi entregue para a comissão responsável no fim da semana passada. Os dados foram coletados e analisados entre os meses de março a maio deste ano. De acordo com a informação da atual diretoria, a empresa constatou que nenhum dado ou número está fora de ordem ou irregular.

Os principais pontos questionados pelo grupo do ex-presidente, João Batista Martins, que solicitou a auditoria, foram a duplicidade das diárias para o tesoureiro do sindicato e presidente da Federação dos Trabalhadores em Saúde do Estado (Fetessesc), Cleber Ricardo da Silva, e o pagamento da primeira mensalidade dos novos sócios para a pessoa que associou, neste caso a diretora de base em Araranguá, Miraci Peres Floriano. Portanto, segundo a auditoria, não ocorreram irregularidades em nenhum dos casos denunciados.  “Inclusive, os comprovantes desses pagamentos foram compilados em conjunto com as contas da Fetessesc apontando não haver nenhuma verba disponibilizada duas vezes”, afirmou o contador Marcelo Kamisnki, prestador de serviço para o Sindisaúde. “Como já esperávamos, todos os números entre receita e despesa com as suas finalidades devidamente comprovadas e o balanço final fechou com aprovação das contas”, disse Kaminski.

A presidente do Sindisaúde, Gabriela Campos Pnkoski, lamentou os conflitos que ocorreram neste início de ano freando e atrasando as atividades da entidade. “Por outro lado, acabou sendo positiva a auditoria, comprovando definitivamente a idoneidade e transparência nas nossas ações e gestão. Nosso objetivo agora é passar mais segurança e a confiança da categoria nos nossos trabalhos para continuarmos com força e união a luta pelos direitos dos trabalhadores”, destacou a presidente.

 

Ação está sendo estudada

O advogado contratado pelo grupo do tesoureiro Cleber Ricardo Cândido da Silva, Chalton Schneider, relata que, como a denúncia não se confirmou, está sendo estudada uma ação contra o ex-presidente.

O ex-presidente, João Batista Martins, não atendeu as ligações da reportagem.

 

Entenda o caso

O Sindisaúde passa por momentos conturbados e disputas internas, que vieram à tona durante a greve dos trabalhadores do Hospital Regional de Araranguá (HRA), em dezembro e janeiro. Neste período, o processo foi conduzido por Cândido, já que Martins pediu afastamento por problemas de saúde.

A realização de auditoria foi revelada no início de maio, em coletiva de imprensa chamada por Martins. Logo em seguida, foi chamada uma assembleia que optou pela saída de Martins e pela posse da Gabriela, até então, vice-presidente da entidade sindical. Ainda há disputas judiciais em andamento.

Últimas Notícias

Mais Notícias