Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

GERAL

Acats emite novo comunicado sobre situações atuais dos mercados

26/05/2018 07:28
Foto por Clique para Ampliar
Lucas Renan Domingos

Durante o dia de ontem, a Associação Catarinense de Supermercados (Acats) liberou um novo comunicado sobre o panorama atual nos supermercados do estado. Conforme o texto a associação está monitorando as situação em todas as regiões do Estado. Os setores mais críticos continuam sendo os de hortifrúti, produtos perecíveis e carnes in natura.

A entidade ainda aponta que, a maioria das lojas está bem abastecida em categorias de produtos de longo prazo de validade principalmente em cidades de pequeno porte do interior. Caso as reposições não acontecerem até a próxima segunda-feira, a Acats avalia que alguns produtos correm o risco de esgotar as vendas. Frios e laticínios, verduras e frutas de larga escala de consumo, como batata e tomate, carnes in natura e resfriadas em geral, frutas de fornecedores de outros Estados, como melão e mamão e pães frescos e industrializados.

A associação demonstra ainda uma preocupação maior relacionada aos pães. O motivo é a falta da de matéria-prima (trigo) para a fabricação.

 

Governo Federal aciona Forças Armadas

Durante a sexta-feira, depois que as manifestações foram mantidas por todo o país mesmo coma a sinalização de um acordo, o governo anunciou que vai acionar as forças de segurança federais para liberar as estradas e que as Forças Armadas serão utilizadas para garantir o abastecimento da população. Para isso, será editada uma operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), válida até o dia 4 de junho.

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmman, afirmou ainda que o presidente Michel Temer poderá editar um decreto para permitir a requisição de bens, prevista na Constituição, para que alimentos, combustíveis, medicamentos e insumos cheguem à população, em todo o país. Ele acrescentou que os militares têm o respaldo legal para assumir a direção dos caminhões dos grevistas, se assim necessário.

Segundo números apresentados pelo governo, informados pela Polícia Rodoviária Federal, das 938 obstruções e interdições de rodovias, 419 já foram liberadas até este momento. Há ainda 519 pontos de interdições, segundo o governo. O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, admitiu que a liberação ocorre com menos velocidade do que o esperado.

 

Para presidente da OAB nacional, greve é consequência

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, se posicionou ontem sobre a greve dos caminhoneiros. Para ele, as altas constantes têm prejudicado todo o sistema produtivo do país e o cotidiano dos cidadãos.

“A adoção dessa política, sem levar em conta seus efeitos sociais, inviabilizou a atividade dos responsáveis pela quase totalidade do abastecimento no país. Essa situação expõe ainda a precariedade da infraestrutura do país. Há décadas, os seguidos governos, de diferentes matrizes ideológicas, se recusam a investir no desenvolvimento de outras formas de transporte”, afirmou o presidente.

Segundo Lamachia, o direito de se manifestar não pode sufocar outros direitos como o direito de ir e vir e acesso à saúde, alimentação e segurança. Na sua visão o momento é de bom senso entre as partes para que a sociedade não seja punida pelo desabastecimento e o governo lidar com a situação de forma a não agravar a tensão social nem as ofensas aos direitos fundamentais.

“Diante das graves consequências já em curso, impõe-se, por parte do governo, que vá além de um simples pedido de trégua aos grevistas ou que se valha tão somente de medidas repressivas. Desobstruir as estradas e normalizar o abastecimento é necessário, mas sem que a essência do protesto seja levada em conta, apenas aprofundará a crise. É preciso que o governo encontre meios de economizar despesas, sem onerar ainda mais os contribuintes, que são atingidos por uma das mais altas cargas tributárias do mundo, sem que qualquer tipo de direito previsto na Constituição Federal seja devolvido a contento”, completou.

Últimas Notícias

Mais Notícias