Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

OPINIÃO

Quantos aniversários vivos você ainda terá?

14/01/2019 06:00
Jonathas Roberge - empresário e debatedor da Rádio Som Maior

Por sermos um animal, nosso organismo tem fim. No jargão popular: “a única certeza que temos na vida é que um dia morreremos”. Segundo IBGE, a expectativa de vida do brasileiro ao nascer foi de 76 anos em 2017. A maioria da população não administra o seu tempo e nem sua expectativa de vida. Partindo do princípio que já tenhamos subtraído a nossa idade dos 76 anos de expectativa de vida, chegamos ao resultado de quanto tempo falta para vivermos.
Fazendo algumas reflexões com essa sobra de tempo, nos perguntamos: Quantas copas do mundo de futebol ainda assistiremos?  Quanto tempo passaremos com as pessoas vivas que estimamos, sendo os seus Avós, pais, filhos, tios, sobrinhos, amigos ou qualquer outra pessoa que seja de sua estima? Podemos aqui ficar refletindo de diversas maneiras, mas bom lembrar de como será a qualidade desses momentos.
No filme, O Preço do Amanhã. Direção: Andrew Niccol, 2011, os personagens estavam no ano de 2030, onde em seus pulsos haviam um visor com um valor de crédito que iria sendo consumindo com o passar do tempo. Um bom filme para pensarmos quanto vale o nosso tempo. Em 2013 um designer americano Frederik Colting estava buscando financiamento na plataforma crowdfunding Kickstarter para um relógio regressivo. O mesmo prometia ajudar aos usuários a contarem os minutos que faltavam para sua morte. Esta era a idéia por trás do Tikker, um relógio de pulso digital que determinava o tempo restante de vida de seu dono.
Hoje já possuímos tecnologia suficiente, onde, um simples relógio de pulso consegue medir com precisão inúmeros indicadores e proporcionar maior qualidade de vida ao usuário que vão desde aplicações para auxiliar na lembrança de coisas vitais como tomar água, respirar, medir a pressão arterial, batimento cardíaco entre outros. Enfim, poderíamos fazer uma simples aplicação para efetuar este cálculo regressivo.
Por mais mórbido que seja o assunto, refletir é extremamente importante. Tomadas de decisões profissionais e pessoais devem, com certeza, levarem em conta este cálculo. Quando sabemos que algo está acabando, se material, logo repomos. Infelizmente, a vida ainda continua sendo única. Viva-a intensamente.

Últimas Notícias

Mais Notícias