Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

OPINIÃO

Psicologia ao seu alcance

14/04/2018 06:00
Flávio Melo Ribeiro - Psicólogo Flávio Melo Ribeiro - CRP 12/00449 - flavioviver@gmail.com

Você se conhece profundamente? Sabe quem realmente é? Você usa suas características a seu favor? Essas perguntas podem parecer estranhas para um adulto, já que todos, de alguma forma, sabem quem são. No entanto, a essência aflora quando o ambiente e as pessoas se transformam em algo perigoso e é necessário agir de imediato, sem tempo para refletir. As ações e as falas posteriores ao perigo serão completamente espontâneas. Todo o aprendizado acumulado durante a vida e toda a nossa personalidade construída irá agir. Você continuará consciente durante a ação e achará que é o melhor que tem a fazer, porém nem sempre o resultado irá a seu favor.
Você apresenta equilíbrio emocional diante da adversidade? Será um comportamento condizente com seus valores? Mostra maturidade nas suas atitudes e decisões? Faço esse questionamento porque há adultos que agem de acordo com o que aprenderam quando criança e consequentemente apresentam um comportamento infantil diante de um confronto. Assim, ficam presos nos aprendizados que tiveram durante a infância e não renovam seus comportamentos. Pare para pensar sobre isso e se questione. Quem sou eu e como agirei diante de um perigo extremo?
Ao se questionar sobre tal reação, qual foi a resposta? O que veio ao encontro dos seus pensamentos? É como gostaria de reagir diante de um perigo ou como realmente agiria? O resultado dessa ação está a favor ou contra seu projeto de vida?
A vida, mais cedo ou mais tarde, apresenta obstáculos que precisam ser ultrapassados. Quando adultos, não podemos ser ingênuos como crianças e achar que nada de ruim vai nos acontecer. Porém, não seja pessimista a ponto de antecipar um perigo que talvez nem exista. Portanto, é fundamental se conhecer e investir nos conhecimentos e habilidades que lhe permitam enfrentar os desafios que encontrará no dia a dia. Invista em si, pois é com a sua personalidade que continuará a viver até o último dia de vida. Você é a sua própria casa. Se conheça, procure um psicólogo.

Últimas Notícias

Mais Notícias