Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

OPINIÃO

Desacostumamos a fazer uso de boas maneiras?

14/05/2018 06:00
Michelle Rocha Rauber - Psicóloga CRP12/14438 – Presidente da CERES – Associação Criciumense de Apoio a Saúde Mental

Em determinado dia desta semana estive, como costumo fazer, em um estabelecimento da cidade para tomar café da manhã. Por frequentar há algum tempo aquele local já presenciei várias situações, de maus a bons atendimentos. Mas naquele dia em específico as coisas aconteceram de outra forma.
Adentrei ao estabelecimento antes mesmo das 7 da manhã e fui recebida por um “Bom dia”, olhei para a pessoa que me cumprimentava e era uma atendente com um vasto sorriso, bastante simpática. Ela ouviu meu pedido com bastante atenção, pensei que talvez fosse uma funcionária nova e torci para que a forma de agir dela ao realizar seu trabalho se conserve exatamente como foi naquele dia. Não houve nada de especial naquele atendimento, apenas respeito e educação para com o cliente, no caso eu, mas me soou diferente mesmo assim.
Após me sentar com meu café, estive refletindo sobre como nós, pessoas, tratamos as outras pessoas em nosso dia a dia, e em como muitas vezes nos acostumamos com atendimentos ruins, sem cordialidade, atenção.
Enfim me questionei, onde estão as tão tradicionais e cada vez mais raras boas maneiras? Aquelas que referem ser de bom tom dizer “por favor”, “com licença”, “obrigado”. Eu costumo usar dessas expressões em meus diálogos e recomendo. Mesmo assim me acostumei a não ouvir de volta na maioria das vezes, por isso foi diferente aquele atendimento. Isso responde a minha sensação de estranheza diante da simpatia e educação daquela moça. Será que não estamos mais acostumados com pessoas que usam essas expressões? Que são simpáticas e atenciosas? Isso me preocupa.
Aquele fato realmente fez diferença no meu dia, fui atendida, tomei meu café, saí do local, e ainda estava com um sorriso no rosto, aquele com o qual respondi a atendente, que certamente distribuiu outros sorrisos naquele dia. Sai satisfeita, pensando em como é bom ser bem atendida pelas pessoas, se sentir acolhida num local.
Gostaria que outras pessoas de nossa cidade e região que trabalham também com atendimento ao público pudessem refletir e entender o quanto isso é positivo, o quanto um bom atendimento pode contribuir para o bem estar dos clientes e consequentemente ser rentável para seu negócio.
Eu certamente voltarei a tomar meu café naquele local, como já citei, é meu costume, mas das próximas vezes vou torcer para ser atendida por aquela funcionária atenciosa e que me fez sair de lá sorrindo da última vez.

 

Últimas Notícias

Mais Notícias