Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

OPINIÃO

Caos na Mobilidade: menos usuários, péssimo serviço e muitos veículos nas ruas

05/07/2017 06:00
Nícola Martins - Administrador Público e Jornalista

No Jornal A Tribuna dessa segunda-feira, vemos a queda no número de usuários do transporte público de Criciúma. Essa queda será ainda maior se os nossos gestores       continuarem a tratar o transporte público da forma paternalista e monopolista atual. Há mais de 20 anos temos as mesmas empresas, disfarçadas de associação, pres-tando o péssimo serviço. O planejamento parou no fim da década de 1990 e até hoje nunca construímos os terminais do Rio Maina e da Quarta Linha.
Sabe quantos veículos emplacados temos em Criciúma? 146.320, de acordo com o Detran-SC. O que representa cerca de um veículo para cada 1,40 habitante. Isso sem contarmos os tantos veículos emplacados em municípios vizinhos que circulam dia-riamente por Criciúma.
A capital brasileira com o maior número de veículos por habitante é Curitiba, no Paraná, com um veículo para cada 1,8 ha-bitante. Estamos piores que a pior capital.
Mais de 70% dos veículos que seguem para a região da Unesc e da Faculdade SATC entre 17h e 20h estão com somente um ocupante. E de quem é a culpa disso? Da falta de qualidade na prestação do serviço de transporte público. É caro, ruim, perigoso. Quantas vezes vemos notícias sobre falta de segurança nos terminais? Os ônibus estão sucateados, são ruins, motoristas que parecem estar em um rally.
Se você estuda na Unesc ou na SATC e possui dois colegas que estudam no mesmo horário, poderiam usar o UBER. Se dividirem o valor de ida e volta, provavelmente custará poucos centavos a mais que o ônibus. Sendo que o UBER te deixa na porta da Universidade e te deixa na porta de casa, com muito mais segurança.
O correto seria ampliar a concorrência com as vans. O transporte público por meio de ônibus já passou da hora de passar por uma nova concorrência. Com a recriação do Estacionamento Rotativo, uma parte desse valor deveria ir direto para o subsídio ao transporte público para a diminuição da passagem de ônibus e estímulo à utilização do transporte.
Vai ano, vem ano e continuamos enfrentando os mesmos problemas de mobilidade urbana, sem ver uma mudan-ça clara, ser ver um planejamento claro, entupindo nossas vias e chegando ao caos das grandes cidades.

Últimas Notícias

Mais Notícias