Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

ESPORTES

Irritados, torcedores apedrejam carros de jogadores

21/09/2014 00:44
Foto por Lucas Colombo (Foto: Lucas Colombo) Clique para Ampliar
Bruna Borges

Sem paciência com mais um partida sem resultado positivo no Campeonato Brasileiro, alguns torcedores do Criciúma não se contentaram em vaiar o time no fim da partida que terminou empatada em 1 a 1 com o Botafogo. Após o apito final, um grupo de torcedores se aglomerou em frente ao estacionamento de dentro do Heriberto Hülse e jogaram pedras nos carros dos jogadores.

Um dos carros atingidos foi o do atacante Zé Carlos que, visivelmente inconformado com a atitude da torcida, falou com o repórter Mateus Mastella, no Futebol 10 das rádios Hulha Negra e Som Maior. “Não sou criança de estar aqui. Eu estou muito chateado. Amanhã vou conversar com o Claudio (Claudio Gomes, diretor de futebol) e o Angeloni (Antenor Angeloni, presidente do clube) para ver isso. Se é para ir embora eu vou, não me custa”, declarou Zé do Gol.

O superintendente do Criciúma, Lédio D’Altoé também comentou a situação. “Eu fico muito triste com isso, porque sobra para o clube. Tem várias maneiras de protestar, mas não é jogando pedra em ninguém que vamos conseguir resolver o problema. Quem paga a conta é o Angeloni, sempre é assim nessas situações. A torcida cobra, pede, mas é do jogo. Nós também lutamos para ter o melhor do Tigre. Chutaram várias bolas e nenhuma entra , aí fica difícil. Quando é gol é invalidade”, disse D’Altoé.

A cavalaria da Polícia Militar teve que dispersar a confusão e a maioria dos jogadores precisou esperar quase duas horas para conseguir deixar o H. H. em segurança na madrugada deste domingo.

Com informações de Mateus Mastella

 

Galeria de Fotos

Últimas Notícias

Mais Notícias