Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

ENTRETENIMENTO

Peça de tragicomédia aborda fanatismo religioso em palco criciumense

30/06/2016 06:56
Foto por Daniel Búrigo (Foto: Daniel Búrigo) Clique para Ampliar
Denise Possebon

Com uma temática polêmica, mas abordada de forma cômica, a peça “Uz” abriu o ciclo teatral “Em Cena Catarina”, em Criciúma. Incluída em projeto, desenvolvido pelo Serviço Social do Comércio (SESC), com apoio da Fundação Cultural de Criciúma (FCC), a peça da Companhia de Artes Cênicas La Vaca, de Florianópolis, trouxe ao público do Teatro Elias Angeloni uma sátira ao fanatismo religioso e opressor.

Para aproximadamente 100 pessoas, a história dos moradores de “Uz” e de uma família guiada pelos ensinamentos da Igreja, trouxe a tona uma reflexão social e cultural, envolvendo assuntos da atualidade. A trama se concentra em um pedido duvidoso. Ao fazer contato com a personagem Grace, mãe e símbolo de virtude, a figura de Deus ordena que a religiosa mate um de seus filhos, Dorothea ou Tomás.  Os desdobramentos da história são elementos que envolveram a plateia.

Trabalhada em diferentes tramas, “Uz” possui um grande clímax, que é uma supressa sobre umas das personagens. “A peça traz uma revelação e é uma caricatura de um povoado doado à Deus, que aos poucos acabam se desvirtuando e mostrando seus segredos mais íntimos”, fala Milena Moraes, atriz que interpreta “Grace” e produtora do espetáculo. A tragicomédia estreou em 2014 e trouxe ao palco criciumense sete atores, de forma totalmente gratuita.  Milena diz que a proposta do espetáculo é a reflexão.

“O objetivo é fazer uma crítica social ao fanatismo religioso. É uma peça muito atual que aborda a religião que tem se colocado no Brasil de forma tão ortodoxa e opressora. Mas, a sátira é feita para o opressor e não para o oprimido”, diz. Os adoradores de teatro enxergaram na peça um bom motivo para expandir seus conhecimentos, apostando sempre na iniciativa SESC. Morando próximo ao Teatro Elias Angeloni, Lívia da Silva, pretende acompanhar as demais peças do ciclo. [

“Apesar de não ter conhecimento sobre a peça, eu já conheço o projeto do SESC. Há dois meses mesmo vim em uma apresentação feita por eles. Gosto muito de teatro e acompanho sempre”, afirma. Para o estudante Guilherme Ferreira, o humor trazido na peça foi o principal atrativo. “Conhecia um pouco e achei legal que é de comédia. É uma peça bastante conhecida”, diz.

Próximos espetáculos

O assunto reflexivo e polêmico para o público adulto foi destacado pelo SESC. “”Uz” já teve críticas do técnico de cultura do SESC do Estado”, diz técnica de cultura do SESC local, Cristine Nasário Gomes. Mas,  essa é apenas a primeira peça do ciclo. Hoje a peça infantil “Fadas”, da Cia de Teatro, de Joinville, se apresenta às 19h30 no Teatro Elias Angeloni. Amanhã, o evento acontecerá em horário e local diferenciado. A Cia de La Curva, de Chapecó, se apresenta na Praça Nereu Ramos, às 15h30, com “Todopassa”.

Para os organizadores, esse é um evento de grande oportunidade para o público de Criciúma. “São espetáculos gratuitos e a nossa ideia é que todos possam ter acesso à cultura. Teremos peças de sala e de rua e para todas as idades”. Desde o ano passado o projeto tem sido realizado em formato de mostra, que incluem dias consecutivos com espetáculo. O “Em Cena Catarina” é considerado o ciclo de maior circulação do Estado, passando este ano por aproximadamente 30 cidades, onde existem unidades do SESC.

“Todo ano são escolhidos pelo SESC três peças, onde o principal critério é a qualidade da encenação, trazendo grupos que são bastante representativos”, explica Cristine.

Galeria de Fotos

Últimas Notícias

Mais Notícias
Oba Delivery - Entrega de comida on-line