Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

ECONOMIA

Mais de um século de história

02/05/2013 10:43
Foto por Deize Felisberto (Foto: Deize Felisberto ) Clique para Ampliar
Deize Felisberto - reportagem@atribunanet.com

A história de uma das mais tradicionais lojas de Criciúma se alonga há mais de um século e se mistura com a criação e evolução do comércio da cidade. Foi com uma loja de secos e molhados na Rua Henrique Lage que Eugênio De Bona Castelan deu início ao negócio em 1910.

Com a ajuda dos filhos Lino De Bona Castelan e Irma Garbeloto Castelan o negócio que no ano de 1948 viria a ser chamar Casa das Gaitas prosperou e hoje está no comando da quarta geração. 

Adair Castelan Junior, de 47 anos, bisneto de Eugênio, administra a loja ao lado do tio e conta que o segredo para tantos anos de longevidade está na palavra honestidade. “Procuramos vender sempre e não somente uma vez. A honestidade conquista a fidelidade do cliente. Esses valores foram sendo trazidos de geração a geração desde o meu bisavô”, conta Junior.

Sempre localizada na Rua Henrique Lage, o comércio foi se especializando na venda de instrumentos musicais e na década de 90 se voltou somente a este segmento.

“Tivemos uma época que vendíamos, além dos instrumentos musicais, bicicletas, discos, fitas, ventiladores, aparelhos de sol e outros itens. No período da vinha avó vendíamos muita máquina de costura”, relembra Junior.

Em 2000, a loja mudou de local, mas continuou na Rua Henrique Lage. Conforme Junior, até o início do século XX o negócio sempre esteve localizado onde hoje está à loja Damyller. “Há 13 anos ocorreu a mudança para o outro lado da esquina”, comenta Junior.

A clientela e os profissionais que compõem a equipe da loja permanecem fieis ao negócio. “Temos uma clientela que está conosco há muitos anos. Eles confiam muito no nosso trabalho e procuramos dar um atendimento bastante diferenciado. Nossos clientes são de todo o estado. Muitos que se mudaram para outras cidades continuam vindo aqui para comprar conosco”, considera Junior.

O gerente da loja Luiz Paulo Florentino, de 63 anos, é um dos funcionários mais antigos e chegou a trabalhar com o fundador do comércio. “Entrei aqui em dezembro de 1961 com apenas 13 anos. Foi a única empresa que trabalhei. Temos um clima ótimo para trabalhar e a direção é bastante compreensiva”, conta Florentino.

O gerente sempre esteve ligado à música. Como saxofonista tocou por quase 30 anos em várias bandas da cidade. Outro colaborador Marcelo Assunção está na Casa das Gaitas há dez anos e foi contratado porque preenchia os requisitos da loja.

Um deles é tocar algum instrumento, no caso de Marcelo sua habilidade é com o teclado. “Procuramos montar uma equipe de colaboradores que entendam do nosso assunto. Cada um tem uma especialização em algum instrumento e isso facilita e qualifica a venda”, explica o gerente da loja.

Violão é o campeão
de vendas

De acordo com o gerente, mesmo com o passar dos anos e do avanço da tecnologia o violão continua sendo o instrumento mais procurado pelo público.

“Hoje temos uma variedade maior de tipos de violões. Antigamente não tínhamos nem afinador eletrônico. Algumas coisas mudaram com o passar dos tempos, mas o instrumento é sempre instrumento, a sua essência não muda”, observa Junior. 

Galeria de Fotos

Últimas Notícias

Mais Notícias