Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

Pinduka

MORREU NA CHINA UM GERENTE DA ANJO

30/11/2017
MORREU NA CHINA UM GERENTE DA ANJO Clique para Ampliar

Paulo Antonio Donadio
(Engenheiro Químico, gerente de pesquisas e inovação há quase dez anos)

+ 19/11 (domingo) – 59 anos - pela manhã, no horário chinês, noite de sábado no Brasil.

Sofreu um infarto enquanto se exercitava numa academia em Xangai com um colega (Diretor da Anjo). Foi socorrido imediatamente pelo mesmo, mas não resistiu. Os médicos tentaram reanimar o Paulo sem sucesso.
Falei com a viúva, nesta segunda-feira. Estava em São Paulo - Capital na expectativa da chegada do corpo do marido, prevista para sábado ou domingo (2 ou 3/12). É muita burocracia. Será sepultado na Capital Paulista (sua terra natal).
Deixa viúva: Flaviani Tozzini. Aqui em Criciúma moravam nas proximidades do Corpo do Bombeiros.
CURIOSIDADE: há um bom tempo o casal frequentava a Igreja-Matriz Santa Bárbara. Toda quarta-feira assistiam à Missa da Saúde às 19h, comungavam e faziam questão de receber a benção individual que o Padre dava lá frente do altar. Falo isso, pois o Paulo e a Flaviani sentavam atrás de mim. Não tinha amizade com eles. Só fui conversar com a viúva, na quarta-feira (22), quando fiquei sabendo que era o marido dela que havia morrido lá na China, pois a Missa foi na intenção dele.

 

NOS DEIXOU UM ANTIGO VIDRACEIRO E TAXISTA

Antonio Pinheiro
(o Toninho)

+ 18/11 (um sábado) – 70 anos – infarto, em casa.

Sepultado no Cemitério do Bairro São Luiz.
Era viúvo e morava na Mina do Mato.
OBS.: durante uns 30 anos foi vidraceiro na Vidraçaria Prata, ali na Rua Henrique Lage, Centro. Depois virou taxista na Praça Dr. Nereu Ramos.

 

LEMBRANÇAS DA PROFESSORINHA

Em 1956, eu tinha 7 aninhos. Minha 1ª professora no curso primário do Grupo Escolar Professor Lapagesse era essa mocinha aí, MARIA DE LOURDES HÜLSE LODETTI, na época com 42 anos. Era bem brabinha.
Ela chegou aqui na terrinha em 1940 (aos 26 anos), com seus familiares, vindo de Tubarão.
Por seus relevantes serviços prestados à nossa CRICIÚMA (professora no Lapagesse e Colégio Madre Tereza Michel, aqui uma das fundadoras e trabalhos sociais e religiosos) recebeu o Título de “Cidadã Honorária da Cidade” em 19/06/1996, referente Decreto Legislativo de 13/09/1995.
OBS.: isso sim que foi um TÍTULO bem dado, ao contrário de hoje em dia, que a nossa Câmara de Vereadores anda descarregando de carreta “títulos e mais títulos”. O pior que para pessoas que não sabemos por que tal honraria. Até parece que nossos “bravos vereadores” estão lá só para fazer média com esses Títulos Honorários.

Últimas de Pinduka

Veja mais