Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

Ney Lopes

Helder

19/02/2018

Foi com muito pesar que sepultamos, sábado pela manhã, um amigo muito querido vencido por uma doença implacável. Nos últimos meses lutou bravamente pela vida sem nunca deixar de lado sua “queridez”, com seu sorriso que cativava a todos, mesmo quando, ainda na sua cadeira de rodas, era levado pelos irmãos para aquela tradicional passadinha no seu boteco preferido, o bar do Zequinha, a nossa Catingueira. Helder Búrigo nos deixou, mas sua imagem alegre ficará sempre na memória de quem conviveu com ele. Sempre brincava com Helder, que gostaria de reunir numa mesa de debates Helder Búrigo, Boca Casagrande e o Realdinho Guglielmi tendo o Romancine como mediador. Não deu tempo.

 

De gala

Convenhamos! Esse fim de semana foi um daqueles que tanto esperamos durante toda temporada de praia e nunca apareceu. Infelizmente, mesmo com muito sol e forte calor, nosso Rincão contabilizou um fraco movimento. Em compensação, a noite da cidade, sábado, estava a mil por hora, bares e restaurantes lotados, somando ainda com o fim do horário de verão. Aí foi só ir para o abraço.

 

Fila anda

Dentro das separações milionárias da cidade, a última que veio à tona foi a de um jovem casal emergente da cidade, ele dono de uma empresa do ramo de automóveis usados, que teve que desembolsar em torno de R$ 8 milhões entre imóveis e dinheiro vivo.

 

Aulas

Movimentação na cidade a partir desta segunda-feira desde cedo com a volta às aulas das redes municipal e estadual. As escolas particulares já estão desde a última quinta-feira em atividade e, hoje, também voltam os 15 mil alunos da Unesc.

Últimas de Ney Lopes

Veja mais