Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

Henrique Packter

MARCIO ARCANGELO ZACCARON, primeiro mastologista

11/08/2018

FATOS POLÍTICOS, DÉCADA DE 90
Foi no governo de Pinho Moreira, a 21.4.1993, que eleitores brasileiros foram às urnas para plebiscito que apontaria a forma e o regime de governo do Brasil. Em Criciúma, as urnas apontaram 53.473 votos para República, como forma de governo, contra 8.736, para monarquia, e 44.156 para presidencialismo contra 20.773 para parlamentarismo.
O trabalho realizado como deputado federal elegeu Eduardo Moreira prefeito de Criciúma (1993-1996) com votação expressiva. Em 1997, foi convidado para assumir a Casa Civil do Governo de SC e para presidir a Celesc - Centrais Elétricas de SC.

Paixão pela Medicina e retorno à política
Em 1998, Eduardo Pinho Moreira retornou à atividade médica. De 1999 a 2004, exerceu a presidência da Fundação Ulysses Guimarães/SC – órgão de estudo do PMDB. Em 2002 foi convidado por Luiz Henrique da Silveira para ser seu vice na disputa pelo Governo do Estado. Convite aceito e candidaturas bem-sucedidas. Em 1º.1.2003, toma posse como vice-governador de SC. Exerce o mandato até o afastamento de Luiz Henrique da Silveira, em 9.4.2006, que deixou o Executivo para dedicar-se à campanha de reeleição.
Luiz Henrique da Silveira e Eduardo Pinho Moreira deram início à política de descentralização administrativa em SC, levando o governo a todas as regiões do Estado. Esta metodologia governamental não tem aceitação unânime entre os políticos catarinenses. Na verdade, parece que hoje a ideia é execrada.
De 2007 a 2009 foi novamente presidente da Celesc, realizando o projeto de levar luz a todos os municípios do estado. Em 2010, eleito vice do governador Raimundo Colombo, reeleito em 2014 para continuar o trabalho dirigido ao desenvolvimento social e econômico dos 295 municípios catarinenses. Mas Eduardo era da Laguna.

UM PARÊNTESIS PARA VOLTAR A FALAR DE ZACCARON
Em 22.01.2015, Márcio Zaccaron foi convidado para ocupar o cargo de secretário da Saúde de Criciúma. Com experiência na rede pública e em gestão, Zaccaron afirmou estar preparado para o que avaliava como o maior desafio da sua carreira. Nomeado na quinta-feira 22 de janeiro, assume na sexta-feira, dia 23.
Em 2015, Zaccaron totaliza 32 anos dedicados à saúde pública. Atendia no Programa Saúde da Mulher instalado no Centro de Especialidades (CES). “Elaborei o projeto de todo protocolo de atendimento desse programa implantado no início dos anos 1990 pelo então secretário Luiz Augusto Borba. Até hoje a estrutura funciona dessa maneira”, conta.
A oportunidade de colaborar de alguma forma para me- lhorar a saúde pública consiste na missão mais importante da vida, diz Zaccaron. “O setor em todo o Brasil atravessa momento de crise e o Estado está aquém das necessidades da população. A ciência evolui para ampliar a expectativa de vida, mas o poder público deixa de acompanhar o progresso e não possibilita o acesso do cidadão à modernização dos equipamentos e procedimentos”, sublinha.

Medidas
Ao chegar à Secretaria de Saúde, Zaccaron planejou encaminhar projeto possibilitando a realização de pequenas cirurgias ginecológicas no Programa Saúde da Mulher. “O andamento será mais rápido e a estrutura para isso não requer grande investimento”, diz. A administração deverá prezar também pelo atendimento humanizado, direcionado “ao doente e não à doença”, sintetizava o secretário.

VOLTANDO AOS POLÍTICOS LAUREADOS DE CRICIÚMA
Também o engenheiro José Augusto Hülse (Tubarão, 23.3.1937),  prefeito de Criciúma, de 31.1.1983  a 1º.1.1989, foi vice-governador de SC no governo de Paulo Afonso Vieira, de 1ª.1.1995 a 1º.1.1999. Então, nenhum dos políticos que desenvolveram atividades em nossa região e que chegaram a elevadas posições no executivo ou legislativo federal aqui nasceram. Zé Augusto era de Tubarão.
Pasmem, mesmo para o senado a história se repete. O grande sul catarinense, como o oeste americano, estavam destinados a estrangeiros.
Aristorides Vieira Stadler, nascido em 21.12.1946, São Joaquim /SC, Bioquímico (Universidade Federal do Paraná) e Administrador (Unesc), 2º Suplente do senador Jorge Bornhausen, pelo PPB. Em 2001, Aristorides Vieira Stadler recebeu o título de Cidadão Honorário de Criciúma. Licenciado o titular, Aristorides assumiu o senado em 2002. É de justiça lembrar os esforços decididos desenvolvidos por Aristorides que apresentou estudos, trabalhos e projetos relativos à Barragem do Rio São Bento, que entrou em operação em 22.6.2006. Sem a barragem, crise hídrica de grande proporção assolaria nossa região.
A obra, localizada em Vila São Pedro, Siderópolis, resolveu o crônico problema de abastecimento enfrentado pelas populações da região carbonífera. Principal manancial de captação para o Sistema Integrado de Abastecimento de Criciúma, beneficia 730 mil habitantes das cidades de Criciúma, Siderópolis, Forquilhinha, Içara, Maracajá e Nova Veneza, com previsão de ampliar o serviço para Morro da Fumaça e Treviso.
Além de garantir o abastecimento de água para municípios da região carbonífera, o empreendimento ainda beneficia indiretamente o controle de cheias. Uma vez concluído, impediu o transbordamento do rio São Bento quando de chuvas intensas, evitando prejuízos para agricultores e população ribeirinha. Mas Aristorides é joaquinense.
DIOMÍCIO MANOEL FREITAS fundou em 1940 a Carbonífera Caeté, atuando na extração de carvão mineral. Presidiu o Sindicato Nacional da Indústria de Extração de Carvão e a Associação Nacional dos Fabricantes de Azulejos e foi conselheiro de uma companhia de investimento.
Diomício, filiado à Aliança Liberal e depois membro-fundador da União Democrática Nacional (UDN), foi vereador em Criciúma. Eleito deputado federal em 1962 (1963/1967), com a implantação do governo militar em 1964, migrou para a Aliança Renovadora Nacional (ARENA). Primeiro suplente do senador biônico Lenoir Vargas, 1978.
Faleceu em decorrência de desastre automobilístico na BR-101, próximo a Imbituba.
Em sua homenagem, o Aeroporto de Criciúma é oficialmente denominado Aeroporto Diomício Freitas.
ARISTORIDES é de São Joaquim e DIOMÍCIO é de Orleans.
Haverá político catarinense natural de Criciúma que tenha assumido cargo de real grandeza? Nossa orfandade em termos políticos vai acentuar-se com a entrega da Governadoria atualmente exercida por Eduardo P. Moreira.
Mas tem Sandra Zanatta Guidi, nascida em Criciúma a 28.12.1947, filha de Alcino Zanatta e de Eleonora Martins Zanatta. Graduou-se em Ciências Biológicas pela Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina (Unesc); em 1973, concluiu o curso de pós-graduação em genética humana na URGS (1979) e diplomou-se também em pedagogia pela Unesc em 1986. Exerceu o magistério durante 23 anos. Presidente da Associação Feminina de Assistência Social de Criciúma (AFASC) de 1977 a 1982, voltou a presidir a entidade de 1989 a 1992.
No pleito de outubro de 1990, elegeu-se segunda suplente do senador Esperidião Amin na legenda do Partido Democrático Social (PDS). Com o afastamento do titular, que se licenciou para trabalhar na campanha da esposa, Ângela Amin, candidata a prefeita de Florianópolis, e, com o falecimento do primeiro suplente Vílson Cechin, exerceu o mandato de 29.8.1996 a 30.12.1996. Nesse período, integrou as comissões de Educação, de Constituição e Justiça e de Ação Social. Empossado Esperidião Amin no governo catarinense (1º.1.1999) e a consequente renúncia à cadeira de senador, reassumiu sua vaga, completando o restante do mandato até 31 daquele mês.
Consultora educacional da Secretaria de Educação de SC na gestão de Luís Henrique da Silveira (2003-2007), em 2007 esteve à frente da Secretaria de Desenvolvimento Social e Habitação de Criciúma. Ainda nesse ano, ingressou no Partido Popular Socialista (PPS). Nas eleições de outubro de 2008, disputou mandato de vereadora em Criciúma, mas não se elegeu.
Casada com Altair Guidi, teve dois filhos. Altair Guidi foi prefeito de Criciúma de 1977 a 1983 e deputado estadual de 1987 a 1991. Nereu Guidi, seu primo, foi deputado federal por SC de 1971 a 1975.
E Heriberto Hülse, que viveu em Criciúma, chegando ao governo do Estado e é nome do maior estádio de futebol da região, o galardoado time do Criciúma? É de Tubarão, onde nasceu a 30.4.1902 vindo a falecer em Florianópolis a 11.11.1972.
Aos 21 anos, em 1923, iniciou a trabalhar na Organização Lage, do empresário Henrique Lage, sendo mais tarde gerente da Companhia Brasileira Carbonífera de Araranguá (CBCA).
Casado com Lucy Corrêa Hülse, foi pai de José e Ruy Hülse, engenheiros.
Foi deputado à Assembleia Legislativa de Santa Catarina na 1ª legislatura (1935/1937), eleito pelo Partido Republicano Catarinense, mandato interrompido pelo golpe do Estado Novo. Um dos fundadores da UDN em SC. Secretário da Fazenda no governo de Irineu Bornhausen
Vice-governador de SC, governou o estado de 16.6.1958 a 31.1.1961, substituindo o governador Jorge Lacerda, falecido em trágico acidente aéreo, juntamente com Nereu Ramos, e o deputado Leoberto Leal, quando a aeronave, vinda de Florianópolis, preparava-se para aterrissar em Curitiba. Na época, eu estudava Medicina na capital das Araucárias e estava de plantão no Hospital da Cruz Vermelha, onde funcionava o Pronto Socorro municipal. Era funcionária do Hospital a Sra. Nair Búrigo, mãe da futura gineco-obstetra Dra. Nyra, que trabalhou por longos anos no HSJB.
Heriberto construiu o hospital de Lages e os fóruns de Criciúma e Tubarão. Foi diretor vice-presidente da Companhia Siderúrgica Nacional (1961 a 1962).
Exerceu a presidência do Sindicato Nacional da Indústria da Extração do Carvão. Foi presidente da Caixa Econômica Federal/SC, integrando o Conselho Superior dessa autarquia. Membro fundador do Rotary Club de Criciúma (18.4.1948), presidiu a entidade durante a gestão 1950/1951. Possuía a Comenda de São Gregório conferida pelo Papa João XXIII e a Medalha de Mérito Tamandaré da Marinha de Guerra.
Como governador foi responsável pelo asfaltamento da Ponte Hercílio Luz e pela fundação do Departamento Estadual de Infraestrutura de SC. 

Conclui MARCIO ARCANGELO ZACCARON. Próxima semana inicia BORIS PAKTER, primeiro broncoscopista.

Últimas de Henrique Packter

Veja mais