Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

Archimedes Naspolini Filho

Crônica da cidade

25/04/2018

JORNAL TRIBUNA CRICIUMENSE, precursor do A TRIBUNA, edição de 29 de outubro de 1956. SOLUCIONADA A CRISE DO CARVÃO – Em data de 25 do mês em curso, a direção do Sindicato dos Mineradores, desta cidade, recebeu – da comissão que se encontra no Rio de Janeiro – o seguinte despacho via Western: Através da brilhante e eficiente colaboração do deputado Joaquim Ramos, solução favorável obtida, afastando crise iminente. Siderúrgica compromete-se  comprar já cinquenta mil toneladas estoque, mais treze mil mensalmente. Pedimos divulgar rádio e imprensa locais esta solução. Ass. Sebastião Toledo dos Santos, José Corrêa Hülse e José Contin Portella. As crises carboníferas, já vimos isso em edições anteriores, eram sempre protagonizadas pela compra-e-venda do carvão mineral. Esse despacho aí, via Western, revela que foi através de cabograma expedido da cidade do Rio de Janeiro e recebido no terminal do cabo submarino na cidade de Torres. De Torres, certamente veio a Criciúma, por telegrama ou radiograma.ITAPOÃ BASQUETE CLUBE – Em data de 5 de agosto p. p., foi fundada, na Vila Operária, a Associação da Mocidade que ficou com o nome de Itapoã Basquete Clube, tendo a dirigi-la os seguintes diretores: Presidente de Honra Dr. Olavo de Assis Sartori, Presidente Mário Sonego,  Vice-Presidente João Sonego Sobrinho, Secretário Aidil Peruchi, 2º Secretário Cantídio Ramos, Tesoureiro Santos Cechetto, 2º Tesoureiro Eugênio Michels, Diretor Esportivo Germano Magrin, Diretor do Mês Otávio Ronconi. Conselho Fiscal: Jacy Dal Bó, Odete Acordi, Natália de Oliveira, Arnoldo Roque e Dite Freitas. Essa, pra mim, é novidade. Um diretor “do Mês”: o que lhe competiria? Alguém sabe alguma informação desse Itapoã Basquete Clube? A SELEÇÃO, A PAU E CORDA, CONSEGUIU EMPATAR COM O ITAÚNA DE 1 X 1. Com o gramado encharcado, escorregadio e impraticável, mediram forças, na tarde de ontem, em um amistoso, a seleção da Larm e o Itaúna Atlético Clube, de Siderópolis. Nosso combinado decepcionou os apaixonados pelo futebol que, mesmo com ameaças de aguaceiros, compareceram ao estádio do Comerciário, apupando os jogadores da nossa seleção que, numa tarde infeliz, não puderam dominar o entusiasmo e a fibra da rapaziada de Siderópolis. De fato, nosso scratch não correspondeu à expectativa sentindo o ataque, principalmente, as ausências de Chadeco e Gorion e, a linha média, a falta de Osni. O garoto Nilton foi o autor do tento dos visitantes e Hélio o da seleção da Larm que formou com Hélio, Pachá, Léo e Uca; Tchiro e Olavo; Hélio, Santinho, Boca, Gelson e Cardoso (Fumanchu). Itaúna: Bresciani, Biroide e Dego; Bepa, Aldo Silveira e Aldo II; Geopar, Nereu (Milton), Almerindo, Walter e Freccia. Juiz: Adamastor da Rocha, vacilante. Renda Cr$ 4.515,00.
E eu retornarei amanhã. Até lá, amigos, e um abraço do meu tamanho.

Bibliografia: coletânea Tribuna Criciumense, Arquivo Público Pedro Milanez. 
nas­po­li­ni@engeplus.com.br
* Você ouve a Crônica da Cidade na Rádio Som Maior FM, dia­ria­men­te, às 10h, às 14h30min e às 21h.

Últimas de Archimedes Naspolini Filho

Veja mais