Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

Archimedes Naspolini Filho

Crônica da cidade

15/08/2018

Jornal TRIBUNA CRICIUMENSE,  precursor do A TRIBUNA, edição de 2 de dezembro de 1957, parte final.
ESQUADRILHA DE DISCOS VOADORES ATERRISOU EM MARACAJÁ, NO LUGAR ESPIGÃO DA TOCA – Os tripulantes dos estranhos aparelhos usavam roupa colante e fugiram quando os colonos Pedro Zilli e João Ernani tentaram entrevista-los. (Notícia baseada na reportagem da Rádio Eldorado Catarinense – ZYR-6). Segunda-feira, dia 18 de novembro, no lugar Espigão da Toca, distrito de Maracajá, município de Araranguá, os colonos Pedro Zilli e João Ernani, que não leem jornais e não ouvem rádio, estavam entregues à faina diária de secagem de fumo. São homens simples, sem qualquer desembaraço, mas suas palavras infundiram confiança pela sinceridade e convicção com que contaram, às pessoas que os foram ouvir, a sensacional aparição de objetos metálicos tripulados por seres humanos, homens de vestes colantes e inabordáveis. Afirma, o Sr. Pedro Zilli, que foi o Sr. João Ernani quem primeiro viu dois objetos metálicos parados a uma distância de 250 metros, aproximadamente, da estufa onde se encontravam trabalhando. ... Chegaram a dar uns cem passos quando avistaram seis homens de estatura mediana, vestindo roupa cinzenta, colada ao corpo. Esses estranhos seres precipitaram-se para os dois aparelhos, embarcando três em cada um, por escadinhas. Imediatamente os aparelhos levantaram voo fazendo um barulho semelhante ao assoviar do vento. Esses dois aparelhos encontravam-se parados nas proximidades de umas palmeiras que quase foram ao chão em virtude do deslocamento do ar. ...Pedro Zilli e João Ernani não caíram em contradição e afirmaram a uma só voz que a velocidade desses objetos era realmente extraordinária tendo, inclusive, desaparecido em poucos instantes. E a reportagem dá sequência àquele fato inusitado. Interessante que, primeiro, esses óvnis foram vistos em Içara e, agora, em Maracajá. E nós, aqui em Criciúma, por que não? O Professor Jorge Daros deve ter lembrança desse espetacular fenômeno.
LIGAÇÃO CRICIÚMA À ESTRADA FEDERAL – Da ata da reunião do Rotary Clube, de quarta-feira, dia 27 de novembro, Tribuna extraiu o seguinte trecho: ‘o Presidente concedeu a palavra ao prefeito Addo Caldas Faraco que expos, em linhas gerais, o problema da ligação rodoviária de Criciúma ao trecho da estrada federal Tubarão-Maracajá. O assunto provocou vivos debates tendo, por último, o presidente, designado os rotaryanos Jorge Frydberg e Giácomo João Puggina, ambos engenheiros, para estudarem o problema e sugerir solução. A Paulino Búrigo sequer era projeto...
E eu retornarei amanhã. Até lá, amigos, e um abraço do meu tamanho.

Bibliografia: coletânea Tribuna Criciumense, Arquivo Público Pedro Milanez.
nas­po­li­ni@engeplus.com.br
* Você ouve as Crônicas da Cidade na Rádio Som Maior FM, dia­ria­men­te, às 10h, às 14h30min e às 21h.

Últimas de Archimedes Naspolini Filho

Veja mais