Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

Adelor Lessa

Depois da surpresa na Câmara, Clésio enquadra vereadores do PSDB

13/03/2019

Colaboração: Denis Luciano   e-mail: politica@atribunanet.com

Numa conversa dura, ontem, o prefeito Clésio Salvaro enquadrou os vereadores do seu partido, o PSDB.
Ele não aceitou a postura dos vereadores Dailto Feuser e Alisson Pires na sessão de segunda-feira, na votação do projeto do vereador Zairo Casagrande, que tratava da isenção da Cosip para condomínios.
O prefeito havia pedido aos vereadores da bancada, e aos outros aliados, que votassem contra a proposta. Mas Alisson se absteve de votar e Feuser votou a favor. O projeto foi derrotado por apenas um voto - 8 x 7.
A indignação de Salvaro tinha dois motivos.
Primeiro, porque os dois vereadores ignoraram o seu apelo.
Segundo, porque eles o contrariaram para seguir o vereador que mais faz oposição ao seu governo.
O prefeito foi duro com Feuser e Alisson na reunião.
Para Alisson, que não participou porque é médico e estava em horário de trabalho em um hospital, passou orientação para pedir licença da Câmara imediatamente.
Na sua vaga vai assumir o suplente Edson Aurélio, ex-vereador.
Como Alisson é suplente, se não pedir licença, Salvaro vai mandar de volta para a Câmara os vereadores Arleu da Silveira e Roseli de Luca, que ocupam secretarias no seu governo.
Roseli, presidente do partido, comunicou ao vereador Alisson.
Para Feuser, o recado foi direto: “se quiser sair do partido, a porta está aberta, considere-se liberado”.
E emendou: “em 2020 só terá legenda para ser candidato a vereador pelo PSDB quem for leal com o nosso governo”.
No final de 2018, a direção do PSDB, por orientação do prefeito Salvaro, já deu “carta de alforria” ao vereador Julio Kaminski, por seguidas votações (e posturas) na Câmara contra o governo.

Rompimento a caminho

A presidente da Casan, Roberta dos Anjos, que tem reunião decisiva marcada com o prefeito Salvaro para amanhã, em Criciúma, pediu para conversar antes. Queria tentar compor uma proposta de acordo.
Queria que fosse ontem, mas só entre ela e Salvaro.
O prefeito de Criciúma disse que teriam que estar os outros prefeitos da região.
Ela aceitou, mas acabou cancelando porque foi chamada pelo governador Moisés para uma reunião ontem, 15h, sobre o assunto.
Hoje Salvaro viajou para Brasília. Se a presidente quiser reunião, terá que ser com o vice-prefeito, Ricardo Fabris, e os prefeitos da região. Mas, nada está marcado.
O que fica a cada dia mais evidente é que o prefeito Salvaro está “torcendo” que a Casan e o Governo do Estado não aceitem suas exigências, porque está convencido que romper o contrato é o melhor a fazer.
 

Últimas de Adelor Lessa

Veja mais