Edição Digital

Inovação

O principal "fato novo" da gestão da vereadora Tati Teixeira na presidência da Câmara de Criciúma será encaminhado na próxima semana. A criação da Escola do Legislativo. Um investimento na educação e na qualificação das pessoas. A proposta será aprovada na mesa diretora, para depois ser levada a plenário. A escola será semelhante à que existe na Assembleia Legislativa. Terá a função de organizar palestras e debates, cursos, seminários e outras iniciativas do gênero. A escola terá estrutura própria, sempre com um vereador de presidente, e uma estrutura operacional formada de técnicos. Terá receita própria, na base de um percentual do repasse mensal feito pela Prefeitura para a Câmara, cumprindo exigência legal. Com isso, garante que será perene e que não vai acabar quando mudar a presidência. Sem dúvida, uma boa iniciativa. Primeiro porque vai permitir que a Câmara ofereça algo mais à sociedade, além do debate de plenário e da movimentação política. Segundo porque, sendo um trabalho bem feito, tomando como exemplo a Escola do Legislativo da Assembleia, que é exemplo nacional, vai capacitar melhor as pessoas, permitir debates de alto nível e viabilizar palestras de conteúdo. Pelo menos, é alguém que traz uma "conversa" nova. Nada a ver com construção "faraônica" de nova sede, por exemplo. Subsídios Tati Teixeira trata, com sua assessoria, do projeto da escola desde que assumiu a presidência da Câmara. Tomou todos os cuidados para "cercar" bem o projeto, para que tenha segurança de que vai funcionar e ter continuidade. Anotou muitas sugestões e orientações do ex-deputado Júlio Garcia, hoje conselheiro do Tribunal de Contas. Quando foi presidente da Assembleia, Júlio dinamizou a Escola do Legislativo, ampliando sua atuação. Na próxima semana, Tati vai a Brasília para tratar da possibilidade de parcerias.