Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

Adelor Lessa

A importância da representatividade política

16/01/2018

interina: Francieli Oliveira   e-mail: politica@atribunanet.com

Término da Via Rápida, obra na conturbação entre Criciúma/Içara e agora quarta etapa do Anel de Contorno Viário, restauração da SC-445 e a manutenção do Aeroporto Diomício Freitas são alguns exemplos de como é importante a representação regional no Governo do Estado. Não importa o partido, o que importa é que se saiba quais são os problemas vividos pela região e que se sinta essa dificuldade na pele. Que se conheça o que a população enfrenta no dia a dia.
Hoje, quem está lá é Luiz Fernando Vampiro, mas amanhã pode ser outro. A pasta da Infraestrutura é uma das mais importantes e também com maior orçamento, e a região está sendo beneficiada.
A partir de fevereiro, o governador será do Sul. Eduardo Moreira assume novamente o Governo do Estado. Terá que olhar por todos os municípios, claro, mas é a vez do Sul colocar as suas reivindicações sobre a mesa, de intensificar as cobranças. Apesar de ser ano eleitoral e recursos escassos, é a melhor chance de reivindicar para alguém que conhece a região e que terá a caneta na mão.

Número menor

O Ideas concluiu no domingo o processo seletivo para a contratação de funcionários para o Hospital Regional de Araranguá (HRA). Dos 360 acordados com o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde de Criciúma e Região (Sindisaúde), 315 foram recontratados. De acordo com o novo gestor, o preenchimento não aconteceu porque nem todos compareceram ao local e não dá de contratar auxiliar administrativo para trabalhar na enfermagem, por exemplo. Por outro lado, o sindicato enviou ofício ao Ideas solicitando esclarecimentos sobre o processo seletivo, onde 360 vagas foram ofertadas e o número de vagas por função e setor para que se avaliem os critérios utilizados para a seleção. Vale lembrar que foi justamente o número de contratação que atrasou o início do trabalho do Ideas no HRA.

Últimas de Adelor Lessa

Veja mais